2009

dança em foco – A Dança na Tela

Autores: Katrina McPherson e Simon Fildes (Reino Unido), André Parente (Brasil), Paulo Caldas (Brasil), Mauro Trindade (Brasil), Karen Pearlman (Austrália) e Hernani Heffner (Brasil).

Criado como um projeto de desenvolvimento das interfaces entre a dança e o vídeo, o dança em foco é, hoje, um dos maiores festivais do mundo no contexto da videodança. Ainda que tematizando as mais diversas possibilidades estéticas que surgem do encontro das novas tecnologias (sobretudo da imagem) com a dança contemporânea, o dança em foco tem-se voltado especialmente para a videodança.

Na língua inglesa, por exemplo, e com nuances diversas, os termos “screen dance”, “video dance” “dance for the camera”, “camera choreography”, nomeiam práticas e eventos dessa forma artística produzida apenas no vídeo e para o vídeo, e que integra simultaneamente as dimensões coreográfica e videográfica.

Em pleno desenvolvimento em vários países do mundo, a videodança se constitui como uma extraordinária ocasião para a difusão da produção coreográfica contemporânea.

A MIV – Mostra Internacional de Videodança do dança em foco, reunindo obras das mais diversas estéticas e geografias, difunde a cada ano uma programação que inclui centenas de obras nacionais e internacionais.

Em 2009, além do Rio de Janeiro, o festival é realizado em outras cinco capitais brasileiras (Belém, Goiânia, Manaus, São Paulo e Teresina). Ao mesmo tempo em que difunde, no Brasil, a recente produção mundial, o dança em foco faz chegar a produção nacional e latino- americana à diversos festivais de videodança: nos últimos anos, a MIV já trocou programações com parceiros na Alemanha, Argentina, Austrália, Áustria, Canadá, Chile, Cuba, Guiana Francesa, Equador, Espanha, França, Holanda, México, Paraguai, Portugal, Sérvia, Suécia, Uruguai e Turquia.

Criado, em 2003, como um projeto pioneiro no Brasil, o dança em foco estabeleceu-se menos como um evento do que como uma grande plataforma para difusão, formação e produção das diferentes possibilidades de associação entre o corpo, o movimento e a imagem: daí que façam parte do universo de interesse do projeto, além da videodança, as performances interativas, as instalações coreográficas, os espetáculos multimídia e tudo aquilo que – num sentido mais largo – problematize o corpo e a imagem. A cada ano, oficinas, mesas redondas, palestras e cursos complementam a programação do festival.

A publicação anual, desde 2006, de um livro trilíngüe reunindo ensaios de pesquisadores nacionais e internacionais prolonga o alcance do projeto: o livro dança em foco, tem colaborado, sobretudo no contexto latino-americano, para a formação de um pensamento crítico em torno dessa ainda nova forma de produção audiovisual e de diversas outras modalidades de encontro entre a dança e o vídeo.

Os ensaios contidos neste dança em focoA Dança na Tela (o quarto livro publicado pelo projeto) tratam desse trânsito afetivo entre as poéticas do corpo em movimento e da imagem em movimento. Mais uma vez, trata-se principalmente de um espaço para provocar e deixar públicos pensamentos que – a partir de diferentes backgrounds – tenham por objeto aquilo que vemos emergir do encontro do corpo com as novas tecnologias.

E por tematizar tal encontro, o dança em foco afirma-se, desde sua criação, como um projeto absolutamente atual, em vários sentidos: ao orientar-se para as chamadas zonas de fronteira e entre-lugares, o projeto se liga às principais questões que atravessam a arte de hoje.

Agradecemos ao SESC Rio por renovar a cada ano a parceria que inaugurou o projeto e, sobretudo, ao Oi Futuro que, como espaço notabilizado por sua profunda atenção à arte e tecnologia, acolhe com tanta propriedade nosso dança em foco–Festival Internacional de Vídeo & Dança.

Aproveitamos para também agradecer a continuidade de nossa aliança com o SESC São Paulo, desde 2006, e com a Caixa, desde 2008, instituição esta que fomenta a itinerância do dança em foco em capitais brasileiras.

Paulo CALDAS, Leonel BRUM, Eduardo BONITO e Regina LEVY

Translate*