Oficinas 2012

No Espaço Sesc:

"Un Certain Regard", por Gilles Toutevoix e Virginia Spallarossa

Espaço Sesc. De 27 a 31 de agosto (2ªf a 6ªf) – das 9h às 13h e 1º de setembro (sábado), de 14h às 18h.

Se enquadrar é compor, como tratamos o mundo em que vivemos? Como capturar e transmitir o sentimento e a emoção de um corpo em movimento através da imagem? Por meio de estruturas de improvisação simples com equipamento leve de vídeo, a oficina vai explorar a percepção visual entre o olho humano e o olho da câmera. Os participantes trabalharão em "planos sequência” em cima da performance em que todos os elementos (imagens, som, luz, ação) devem ser controlados durante a filmagem. Em pequenas equipes, cada uma dirige um projeto individual, realizando a experiência de um curta e participando dos outros projetos. Todos filmam, todos dançam.

Gilles Toutevoix é realizador e artista visual, é graduado pela ÉcoleSupérieure d’AudioVisuel de Tolouse e tem formação em steadycam. Realizou documentários e obras de videodança. Integrou a companhia IDA – Mark Tompkins, realizando vídeos, instalações sonoras e performances. Realiza oficinas e residências regularmente em diversos países. www.gillestoutevoix.com

Virginia Spallarossa é dançarina e coreógrafa, formada pelo Théâtre alla Scala de Milão e pela Académie Princesse Graçe de Montecarlo. Desde 2006, integra a companhia internacional Déjà Donné de Simone Sandroni onde trabalha com Margine Buio, Windows, SoloCinque e Glimpse of Hope. Já dançou em diversas companhias de ballet, como a Olympic Contemporary Ballet. Desde 1999, cria e interpreta trabalhos de sua autoria. É professora convidada no Duncan Centre Conservatory em Praga e masterclass no International Dance Theatres Festival de Lublin (Polônia), no SEAD de Salisburgo (Áustria). www.virginiaspallarossa.com

"Vídeo Artesanal / Corpo Técnico", por Ricky Seabra

Espaço Sesc. De 3 a 7 de setembro (2ªf a 6ªf) - 9h às 13h.

A oficina começará com uma abordagem introdutória de vídeos de videodança, corpo e movimento e discutirá a importância da exploração do texto como origem da imagem poética. Munidos de ferramentas de escrita e instigação da imaginação, os participantes desenvolverão uma performance ou dança utilizando o vídeo, em grupo ou individualmente. Técnicas de filmagem de corpos em movimento e de organização e cruzamento de ideias, desejos e aptidões serão transmitidas para orientar a criação e a edição dos trabalhos, permitindo a identificação dos conteúdos explorados mais relevantes. As obras produzidas serão discutidas e apresentadas em sala.

Ricky Seabra combina vídeo, design e ativismo em seus espetáculos para falar de política, memória e poesia. É conhecido pelo uso artesanal e poético de meios tecnológicos em cena. Criou todos os seus trabalhos, como Império Love to Love You Baby, Isadora.Orb e Koyaanisqatsi A Performance em residências artísticas no Kunstencentrum Nona e KaaiTheater na Bélgica. Já foi mentor do CoLABoratório de dança do Panorama e mentor na Faculdade de Estudos Avançados em Artes Cênicas (DASARTS) em Amsterdam.(www.rickyseabra.com/indexpt.html)

No Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro:

"Videodança - desenvolvimento de projetos", por Marcus Moraes

Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro. De 5 de setembro a 25 de outubro - todas as quartas (18h às 21h)

De natureza híbrida e intermidiática, as obras de videodança frequentemente  dialogam com as artes plásticas, a animação e a computação gráfica. Trata-se de um gênero recente no meio audiovisual, que sofreu influências que vão do cinema experimental da década de 1920 à videoarte, passando pelo videoclipe e pelo cinema musical narrativo. Seu processo de realização nem sempre segue os modelos tradicionais estabelecidos no meio audiovisual. O curso pretende orientar o participante desde a criação do roteiro até a edição de seu próprio de videodança, a partir de projetos já iniciados ou mesmo de criações surgidas durante o curso. Paralelamente, o curso vai alternar aulas práticas de câmera com aulas expositivas sobre artes plásticas, cinema e vídeo.

Marcus Moraes é formado em Design pela PUC-Rio e Mestre em Teatro pela Unirio. É professor da disciplina “Dança e Multimídia” da Faculdade Angel Vianna desde 2002. Ministra cursos de videodança em diversas cidades do Brasil desde 2006 pelo Festival Dança em Foco e outros, como o Festival de Dança de Joinville. Criou a videoinstalação "Grafismos" com o coreógrafo Paulo Caldas (Caixa Cultural Rio, 2010) e dirigiu o DVD "Memória em Movimento", com Marise Reis, projeto contemplado pelo prêmio Funarte / Klaus Vianna de Dança (2011).

"Videodança, uma aproximação", por Luciana Ponso

Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro. De 6 de setembro a 26 de outubro - todas as quintas (18h às 21h)

O curso abordará questões teórico-práticas acerca da videodança. Através de exemplos comentados os participantes farão um mergulho na história da videodança, desde o surgimento da representação da dança no cinema até os mais expressivos exemplos da atualidade. Porém, esta abordagem não se dará como uma linha do tempo, mas pelo entrelaçamento das diversas formas de lidar com a relação corpo-câmera. A partir daí, serão sugeridos exercícios práticos de composição em dança para o vídeo visando uma aproximação com a linguagem da videodança. A pesquisa de movimento e a composição coreográfica serão estimuladas através de uma prática corporal baseada nas questões de tempo, espaço, forma e fluxo. A partir desses estímulos será possível estabelecer um diálogo com a câmera em que as imagens sejam compostas como esboços onde as linguagens dança e vídeo possam estar realmente alinhadas.

Luciana Ponso é bailarina e professora de dança. É graduada pela Faculdade de Dança Angel Vianna-RJ e mestranda no Programa de Pós Graduação em Estudos Contemporâneos das Artes na UFF-RJ. Dirigiu os vídeos Quando aprendeu a pular... Accidenteal vento, Duas, Uma e o documentário Plural: Processo de criação.